Loading
Poemas populares
OS SENHORES QUE MANDAM

Olho e vejo a minha terra
Com um olhar de menino
Nasci em tempo de guerra
Que marcou o meu destino.

Nasci com leis de miséria
Que se prolongaram no tempo
E nunca pensei que teria
De voltar a esse evento.

A história sempre repete
O lado mais negro da vida
Como a roupa que se veste
E nunca fica esquecida.

É triste lembrar o passado
Com muita dor no coração
Pensndo que tinha acabado
O tempo de ver mesas sem pão.

Há homens que deixam de ver
A sua própria maldade
E com a ambição do poder
Destroem a liberdade.

Ninguém tem culpa de nascer
Mas todos nascemos nus
E todos têm o direito de viver
A vida não é só para alguns.

As leis são bem engendradas
Onde não há clemência
Para eles vidas abastadas
Para quem produz a riqueza
Só há miséria e doença.

José da Silva Lopes, poeta de Vila Real de Santo António

2 comments

J. Gafarot said:

Li por vias que eles sabem oportunistas, mas li.
Podia acrescentar: e assim será para todo o sempre.
17 months ago ( translate )

Xata replied to J. Gafarot:

Tens o livro em que consta...
17 months ago ( translate )